Educação

Secretaria de Estado da Educação

Acessibilidade: A+ A() A-

 NOTÍCIAS

Escola do Novo Saber já capacitou quase 200 profissionais da Educação durante três meses

Por: Paula Monteiro - 14/07/2017 - 11:12

Foto: Erich Macias

O Governo do Amapá já ofertou 11 formações de qualificação aos profissionais da educação, que atuam nas oito Escolas do Novo Saber, lançadas em abril deste ano. Até o momento, 170 profissionais da educação foram beneficiados com capacitações em workshops, seminários e acolhimento, em cooperação entre a Secretaria de Estado da Educação (Seed), Instituto Natura (IN), Instituto de Corresponsabilidade pela Educação (ICE), Instituto Sonho Grande (ISG), Instituto Qualidade no Ensino (IQE) e STEMBrasil.

Antes mesmo de iniciarem-se as aulas, os diretores, diretores adjuntos e secretários escolares, foram preparados para desenvolver seus respectivos trabalhos nessas instituições de ensino. Na oportunidade, conheceram melhor sobre a metodologia de gestão e pedagógica adotada e a integração das atividades diversificadas e disciplinas, bem como matriz curricular, carga horária, organização da escola e professores.

Além das formações, os educadores das Escolas do Novo Saber participaram de uma programação especial de acolhimento e orientação visando a humanização do atendimento pedagógico e das relações escolares, além do engajamento para aumentar a qualidade do ensino público. No início do ano letivo, em 3 de abril, eles participaram de aulas e dinâmicas sobre a metodologia diferenciada da Escola do Novo Saber e, na ocasião, a titular da Seed, Goreth Sousa, recepcionou os educadores e reforçou que a implantação desse modelo de ensino é o ponto de partida para um novo tempo na educação amapaense.

Seleção

Profissionais que atuam nas Escolas do Novo Saber foram selecionados por meio de processo seletivo realizado pela Secretaria de Estado da Educação, que definiu diretores, diretores adjuntos, secretários escolares, professores e coordenadores pedagógicos por meio de avaliações, entrevistas e cursos de formação em parceria com Instituto de Corresponsabilidade pela Educação (ICE). A seleção, principalmente de gestores escolares, está prevista no Decreto nº 4.446/2016, que cria o programa de Educação em Tempo Integral na Rede Pública Estadual de Ensino do Amapá, e pela Portaria do Ministério da Educação nº 1.145, de 10 de outubro de 2016, visando o monitoramento das ações da gestão escolar e uma possível substituição de gestores.

O professor mais próximo do aluno

Os docentes que atuam nas Escolas do Novo Saber cumprem suas 40 horas semanais (dentro do previsto em lei), com carga horária multidisciplinar, na escola, o que permite uma maior aproximação entre professor e aluno.

Na Escola do Novo Saber, o professor tem a oportunidade de acompanhar o aluno mais de perto, ajudando-o, inclusive, no planejamento do seu futuro. Além das disciplinas já previstas para o Ensino Médio regular, os estudantes contam também com disciplinas eletivas, projeto de vida, aulas de práticas experimentais, aulas de estudo orientado e avaliação semanal. Assim, os estudantes recebem orientações na preparação acadêmica e para mercado de trabalho, por meio do Projeto de Vida.

A professora de francês da Escola Estadual Professor José Firmo do Nascimento, Rosiane Brito, começou a lecionar em escola de ensino regular, mas viu na Escola do Novo Saber uma oportunidade de desenvolver suas metodologias de ensino e se realizar profissionalmente.  Para ela, as disciplinas complementares estão mudando para melhor o comportamento dos estudantes, tornando-os mais participativos, criativos e engajados nas atividades escolares, além de estarem motivados a planejar seus sonhos no Projeto de Vida.

“A Escola do Novo Saber possibilita que o aluno desenvolva suas habilidades e o incentiva a realizar seus sonhos. Acompanhar esse processo e ajudar na adaptação é muito gratificante. Acredito que este projeto tem tudo pra dar certo”, disse.

A Escola do Novo Saber marca um novo momento para a educação amapaense, o processo de ensino-aprendizagem no modelo de ensino integral permite mais dinamismo às aulas com conhecimentos integrados para o melhor desenvolvimento intelectual e social dos alunos. Foram contempladas as escolas: Colégio Amapaense, José Firmo do Nascimento, Maria do Carmo Viana dos Anjos, Raimunda Virgolino e Tiradentes, em Macapá; e Alberto Santos Dumont, Augusto Antunes e Elizabeth Picanço Esteves, em Santana, somando 1.325 alunos. A expectativa é que o projeto seja ampliado, em 2018, inclusive, para outros municípios.