Educação

Secretaria de Estado da Educação

Acessibilidade: A+ A() A-

 Arquivo de Notícias

Com as arquibancadas lotadas, os Jogos Escolares Amapaenses, na faixa etária de 15 a 17 anos, promoveu fortes emoções nesta quinta-feira, 24, no Ginásio Avertino Ramos, em Macapá. Na fase final, foram definidas as escolas campeãs nas modalidades basquete e vôlei (masculino e feminino).


No primeiro jogo no basquete feminino, as meninas do Centro de Ensino Podium (CEP) atropelaram a equipe do Colégio Amapaense com o sonoro placar de 51 a 0, um resultado incontestável. Já no masculino, Tiradentes e Colégio Amapaense fizeram uma partida bastante movimentada e equilibrada até o segundo quarto, quando os times empatavam em 25 a 25. No final, Tiradentes levou a melhor e venceu pelo placar de 75 a 54.


Carlos Junior, técnico do Podium, afirmou que o título é merecido já que o trabalho com o time vem sendo realizando a longo prazo. "Esse é um trabalho que estamos fazendo desde 2012 e hoje estamos colhendo os frutos. Deu certo e agora é só comemorar", disse.


Já no vôlei feminino, com o resultado de três sets a um, a Escola Alexandre Vaz Tavares (AVT) ficou com o título diante do Colégio Núcleo de Educação Integrada (NEI). Logo em seguida, foi a vez dos meninos do NEI darem o troco e bateram o AVT por três sets a zero e comemoraram o título.


"Esse é um time forte que treina bastante e esses garotos estão juntos há algum tempo. Acho que o resultado foi justo. Estão de parabéns os meninos que corresponderam às expectativas e o que a gente repassou para eles", disse Eduardo Amaral, treinador do NEI.


O Jogos Escolares Amapaenses são organizados pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado, Desporto e Lazer, (Sedel). Para Edinoelson Trindade, responsável pela pasta, a intenção de resgatar o espírito de competitividade e rivalidade no desporto escolar está sendo atingida. Ele ressalta que, na fase final, o índice técnico dos times está sendo avaliado.


"Para os jogos nacionais, temos uma preocupação muito grande em relação ao nível técnico das equipes. Esse será um critério para decidir se a equipe campeã irá ou não para a fase nacional. Mesmo assim, o clima de rivalidade entre as escolas está sendo resgatado e isso é um dos nossos objetivos", finalizou.


 



Professores e alunos do 3º ano do Ensino Médio de dez escolas estaduais participaram nesta quinta-feira, 24, no Colégio Amapaense, da palestra sobre o projeto Matapi Ecológico, da pesquisadora paraense Regiane Silva, vencedora do prêmio "Jovem Cientista" do programa Caldeirão do Huck - da Rede Globo de Televisão. O diálogo teve cunho motivacional com orientação para pesquisas científicas, e faz parte da programação da III Feira de Ciências e Engenharia do Estado do Amapá.


A palestrante falou um pouco de sua trajetória como aluna de escola pública que teve o interesse de se envolver em projetos de pesquisas científicas, além de suas dificuldades e conquistas. "Durante meus relatos, mostro que tudo na minha vida mudou com as descobertas das pesquisas, novas oportunidades de estudo e trabalho vieram como consequências", explicou a acadêmica de Administração.


O projeto de Regiane Silva ficou bastante conhecido no exterior em 2012, quando ganhou uma menção honrosa como o melhor projeto internacional na XIII Exporecerca Jove, realizada no Museu de Ciências, em Barcelona. E ainda sua premiação em 2014, no programa do Caldeirão do Huck.


"Meu projeto Matapi Ecológico é uma armadilha que os pescadores utilizam para pegar camarões. Apenas tive a ideia de aumentar o espaçamento para capturar apenas os camarões grandes, assim os pequenos conseguem escapar e continuar seu ciclo de vida normalmente", explicou Regiane.


A aluna Josiane Sozinho Santos, da Escola Estadual Gabriel de Almeida Café, disse que os exemplos servem como um grande incentivo. "Já estou pensando em alguns projetos e vou traçar metas. Se ela foi capaz de ter um projeto que foi reconhecido com sucesso, nós também podemos, é só acreditar, essa foi a mensagem que ficou para nós estudantes", afirmou a aluna.


Participaram da palestra estudantes das Escolas Estaduais Augusto dos Anjos, Gabriel de Almeida Café, Azevedo Costa, Tiradentes, Nilton Balieiro, Alexandre Vaz Tavares, Lucimar Del Castillo, Cecília Pinto, Castelo Branco e Antônio Coerdeiro Pontes.


 


 

Em continuidade a programação da III Feira de Ciências e Engenharia do Estado do Amapá (Feceap) foi realizada nesta quinta-feira, 24, no auditório do monumento Marco Zero uma palestra com o tema "O importante papel na identificação de alunos com altas habilidades/superdotação". A palestra foi ministrada pela consultora e pesquisadora especializada em inteligência humana, superdotação e talento, Maria Prado Sabattella.


Sabatella destaca que quando se discute a Educação Especial é comum lembrar do aluno como aquele com deficiência mental, auditiva, visual ou física. No entanto, assim como essas crianças, também os alunos com altas habilidades necessitam de um atendimento especializado, pois ele também é um sujeito da Educação Especial.


Segundo a pesquisadora, normalmente o aluno que tem altas habilidades se destaca de alguma forma, às vezes ele é mais ativo, fala muito, se levanta muito da cadeira e por conta disso é confundido com hiperatividade. "Por isso a importância da identificação desses alunos para reconhecer um talento muito grande e uma habilidade muito maior", explicou Sabatella.


A III Feira de Ciências e Engenharia do Estado do Amapá (Feceap) que teve início dia 22 se estenderá até sexta-feira, 25, e tem a finalidade de celebrar a luz como matéria da ciência e do desenvolvimento tecnológico com abordagens inovadoras ao desenvolvimento, troca de experiências e socializações das informações.


Para a professora Socorro Melo, que atua no Atendimento Educacional Especializado (AEE) da Escola Estadual Professor Antônio Ferreira Lima Neto, na zona norte de Macapá, é importante o educador estar preparado para identificar os alunos com altas habilidades e levar em consideração os comportamentos observados por um longo período e não aqueles observados esporadicamente.


"O aluno com altas habilidades precisa de um olhar diferenciado nas escolas, no sentido de promover seu enriquecimento curricular, o qual irá ampliar seu potencial, o que muitas vezes passa despercebido no ambiente escolar. Essa palestra veio ampliar esse olhar do educador para além do ensino das disciplinas do currículo comum", destacou Socorro Melo.


Participaram da palestra professores, acadêmicos, técnicos da Secretaria de Estado da Educação (Seed), da Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia (Setec), do Centro de Atividades de Altas Habilidades/Superdotação (CAAS) e pais de alunos.


Diagnóstico e encaminhamento
Após a identificação de alunos superdotados nas salas de aula, o procedimento é encaminhá-los para uma equipe multidisciplinar para que seja feito o diagnóstico e a partir de então serem atendidos nas salas com recursos multifuncionais, que são espaços físicos localizados nas escolas públicas onde se realiza o Atendimento Educacional Especializado (AEE).


Salas de AEE
São salas preparadas para receber estes alunos e dar todo o suporte para que desenvolvam suas habilidades e superem as dificuldades. Trata-se de um serviço da educação especial que identifica, elabora e organiza recursos pedagógicos e de acessibilidade, que eliminem as barreiras para a plena participação dos alunos, considerando suas necessidades específicas.


 


 

A III Feira de Ciências e Engenharia do Estado do Amapá (Feceap) e a 12ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia tiveram início na noite de terça-feira, 22, no auditório do Sebrae/AP. A abertura contou com a presença de estudantes e professores de várias escolas do Estado, representantes do poder público e a comunidade. A terceira edição da Feceap, que faz parte do circuito de feiras nacionais de ciência e tecnologia, é uma parceria do Governo do Estado com o Sebrae, a fim de despertar nos estudantes do ensino fundamental e médio ações voltadas à ciência e tecnologia.


Prosseguindo com uma extensa programação até sexta-feira, 25, no Monumento do Marco Zero, a Feceap, através da ação das Secretarias de Estado da Educação, Ciência e Tecnologia e de Turismo, pretende fortalecer a educação no Estado e a interação entre as escolas e a comunidade através de intercâmbios científicos, além da troca de experiências com estudantes de outros Estados.


Para o secretário da Ciência e Tecnologia, Robério Aleixo, a feira vem para fomentar a ciência como um fato preponderante na aprendizagem de crianças e adolescentes, e torná-la um viés para o desenvolvimento do Estado.


"Nosso propósito é transformar todos os eventos que envolvam ciência e tecnologia num plano de governo. Não existe uma gestão sozinha que vença os desafios, por isso a importância da participação da sociedade", aponta Aleixo.


O estudante do 1° ano do ensino médio da escola estadual Rivanda Nazaré, Thiago Cardoso, participou da abertura e será um dos expositores da feira, no Monumento Marco Zero, com os projetos de um fluido de água potável e um dispositivo de carga eletromagnética. Ele se sente atraído cada vez mais para os estudos que envolvam ciência e tecnologia. "Representar a minha escola nesses projetos sempre foi um objetivo para mim. Em breve, levarei o nome do nosso Estado para feiras nacionais".


No decorrer de toda a programação haverá palestras, amostra de projetos, shows, além de apresentação de rapel e torneio de robótica.


Ciência em Show


A abertura foi marcada pela apresentação do grupo Ciência em Show – projeto dos cientistas Wilson, Gerson e Daniel, professores licenciados da Universidade de São Paulo (USP), que apresentam experiências científicas de forma lúdica, com toques de humor.


O grupo, que tem 12 anos de formação e viaja por todo o Brasil divulgando a ciência, ressalta a iniciativa da Feceap. A apresentação teve a interação dos alunos da escola Deusolina Sales Farias e provocou boas risadas no público, que lotou o auditório do Sebrae.


Para Wilson, a apresentação faz com que os jovens percebam que a ciência está em tudo e em todo lugar. "Aprender não se resume apenas em ver o que está escrito no quadro em sala de aula, mas sim, observar amplamente sobre a natureza e os fenômenos que nos cercam".


E Daniel conclui que nunca é tarde para despertar a vontade de aprender e olhar a ciência como algo construtivo e interessante para o desenvolvimento.




 


 

A secretária de educação, Conceição Medeiros esteve reunida nesta segunda-feira, 21, no gabinete da Secretaria de Estado da Educação (Seed) com a representante da embaixada da França no Brasil Catherine Pétillon, atual responsável pela cooperação educativa, com a diretora da Aliança Francesa no Pará Myriam Mugica e a presidente da APROFAP, professora Loide Cristina da Costa Trindade.


Durante o encontro foi apresentado à gestora da educação uma proposta de trazer novamente para o Estado do Amapá os testes DELF (Diploma de estudo de língua francesa) e DALF (Diploma aprofundado de língua francesa). Esses testes tem validade internacional e são aplicados em todo o mundo nos meses de junho e novembro, com foco nas quatro competências: Compreensão e produção escrita, compreensão e produção oral, podendo ser aplicados a professores e alunos de francês, uma vez que compreende várias níveis. A1, A2, B1, B2, C1, C2.


Na ocasião foi destacada pela comissão de apresentação, a importância dos testes que confere um diploma mediante critérios rigorosos de avaliação e deixa o candidato no mesmo nível de qualquer bom aluno francófono. Por seu caráter internacional, quando o aluno ou professor passa do B2, ele pode continuar seus estudos diretamente em qualquer universidade francesa, o que é muito importante principalmente para o professor de francês que deseja uma continuação de estudos fora do país.


A Diretora Myriam Mugica apresentou uma proposta de trazer os testes para o Estado do Amapá no mês de junho de 2016 para serem aplicados no Centro Estadual de Língua e cultura Francesa Danielle Mitterrand. Os custos com passagem e hospedagens para dois professores de Belém, mais os custos com as provas poderão beneficiar diretamente 20 professores inicialmente. Podendo ser ampliado nos próximos anos.


A diretora Mugica apresentará uma proposta de parceria com a Secretaria de Educação que será analisada para uma efetivação do projeto ano que vem.


A secretária de educação, Conceição Medeiros, disse que a reunião foi muito promissora no que concerne ao ensino do francês no Amapá, já que o projeto atende o anseio da secretaria de educação em impulsionar a formação continuada para o componente curricular Língua Estrangeira.

O Centro de Atendimento ao Surdo (CAS) iniciou uma programação alusiva ao Dia Nacional do Surdo, celebrado dia 26 de setembro, na manhã desta terça-feira, 22, no auditório da Universidade do Estado do Amapá (Ueap). O evento reuniu surdos e ouvintes interessados em Libras (Língua Brasileira de Sinais) e a programação segue até o próximo dia 25.


A abertura das atividades foi feita pela professora Nelcicleide Dias, ministrante da palestra o "Ensino da Língua Portuguesa para Surdos". Ela abordou propriedades do signo linguístico e seus significados.


A professora surda do CAS, Larisse Lima, em seu pronunciamento traduzido por uma intérprete, disse que o evento mostra a força e a união dos surdos e ouvintes do Estado. "Trabalho cursos de libras e oficinas relacionadas com sinais. O evento reúne esse nosso público e é mais uma capacitação para aqueles que não conhecem as particularidades das libras e os sinais", frisou a educadora.


Segundo a diretora do CAS, Núbia Pastana, a ideia é proporcionar um momento de reflexão, luta pelos direitos dos surdos e ainda de lazer. Os participantes ainda receberam orientações preventivas sobre os tipos de violência doméstica e de sexualidade.


Programação


Dia 23: Palestra "Orientação Preventiva sobre os tipos de violência doméstica", das 8h às 12h, no Centro de Atendimento ao Surdo.


Dia 24: Palestra "O Surdo e a Valorização de sua condição multicultural", das 16h às 17h30, na Ueap – Campus II.


Dia 25: Momento de lazer com atividades esportivas, desfile de Miss e Mister surdo, premiações e apresentações de danças ocorrerá a partir das 8h até às 16h, na sede campestre do Sindicato dos Servidores Públicos em Educação no Amapá (Sinsepeap).


O Centro de Atendimento ao Surdo (CAS) é vinculado ao Núcleo de Educação Especial da Secretaria de Estado da Educação (Seed) e funciona nos turnos da manhã, tarde e noite atendendo surdos e deficientes auditivos. As oficinas de libras estão divididas em seis turmas de 30 alunos.


Atualmente o Centro possui oito professores e dois auxiliares de limpeza surdos. O prédio do CAS fica localizado na Avenida José Antonio Siqueira, 875, entre Jovino Dinoá e Odilardo Silva.


 

No mês em que se comemora a Semana Nacional e Internacional de Luta da Pessoa com Deficiência, o Núcleo de Educação Especial (Nees), da Secretaria de Estado da Educação (Seed), realizou na noite de segunda-feira, 21, no auditório do Sebrae, discussões voltadas para a vida das pessoas com deficiência intelectual e múltiplas.


Participaram do evento professores, pedagogos, representantes de instituições ligadas à pessoa com deficiência, como por exemplo, a Associação de Cegos e Amblíopes do Estado do Amapá, Centro de Apoio ao Cego, Conselho Estadual de Educação, dentre outras.


Patrícia Gonçalves da Costa, mãe de uma adolescente de 13 anos com síndrome de Down, afirma que momentos de trocas de experiências são relevantes para o próprio aprendizado e fomentação de políticas públicas.


"Aqueles que têm uma pessoa especial em casa, todos os dias são de luta para garantir os direitos. Ninguém está preparado para ser pai ou mãe de uma criança com deficiência seja ela qual for. O que me fez superar a deficiência da minha filha foi a aceitação, amor e o entendimento", destacou.


A programação contou com palestra reflexiva com o tema "O que foi e é a luta da pessoa com deficiência", ministrada pelos especialistas em Educação Especial Rubenita Gonçalves Teles e Claudovil Barbosa Junior, que abordaram temas como segregação, desenvolvimento humano, potencialidades dos alunos e Declaração Universal dos Direitos Humanos.


A semana voltada para o tema se estenderá até o dia 26, quando acontecerão os jogos adaptados do Centro Raimundo Nonato – localizado na Rua Barão de Mauá, Nº 52, bairro Novo Buritizal – no período da manhã.



O vice-presidente do Conselho Estadual de Educação, Jodoval Farias, destacou a transversalidade que o tema da pessoa com deficiência perpassa em todas as políticas públicas.


"Precisamos garantir que a pessoa com deficiência possa se emancipar e garantir sua produtividade como cidadão, como partícipe autônomo. Queremos avançar na transversalidade e nos direitos humanos", disse Farias.


As escolas da rede estadual vão realizar durante esta semana a I caminhada Pedagógica Inclusiva Interna no Contexto Escolar, que tem como objetivo sensibilizar toda a comunidade escolar sobre o processo de inclusão de alunos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades.


Para a secretária de Estado da Educação, Conceição Medeiros, o tema deve ser tratado pensando verdadeiramente na acessibilidade dos alunos, na reforma e construção de escolas e espaços públicos.


"Temos trabalhado em conjunto com a Secretaria de Estado de Infraestrutura e com profissionais que tenham um olhar para a educação e para acessibilidade", reiterou.


As atividades também se estenderão para o Centro de Apoio ao Surdo (CAS), Centro de Apoio ao Deficiente Visual (CAP), Centro de Atividades de Altas Habilidades/Superdotação (CAAHS).


Ainda com as discussões voltadas para as pessoas com deficiência, está prevista para acontecer no mês de novembro, a 4ª Conferência Estadual de Direitos da Pessoa com Deficiência, com o tema "Os Desafios da Implementação das Políticas Públicas da Pessoa com Deficiência – A transversalidade como radicalidade dos direitos humanos".



 

Com o intuito de fomentar novas tecnologias e ideias, o Centro de Atividades de Altas Habilidades/Superdotação (Caahs/S) está treinando alunos da rede básica de ensino para o Torneio Juvenil de Robótica, que ocorrerá nesta quinta-feira, 24, das 8h às 18h, na III Feira de Ciências e Engenharia do Estado do Amapá (Feceap), no monumento do Marco Zero do Equador.


Trabalhando há um mês nos projetos para a competição, alunos como Adriel Ribeiro, do 6° ano da Escola Estadual Antônio Messias, treinam a montagem dos robôs com o Lego Mindstore EV3: brinquedo inteligente que contém blocos de construção tradicionais da marca, porém, adaptados para um processo programável, na construção de robôs.


Os alunos das redes estadual, municipal e particular de ensino programam os robôs para competir em quatro modalidades que serão apresentadas na feira: cabo de guerra, sumô, simulação de resgate e dança. Todos os blocos do programa são construídos nesse treinamento, já que os alunos não interagem com os robôs no torneio.


Serão avaliados critérios como resistência dos robôs e cumprimento das programações. O primeiro lugar representará o Amapá no Campeonato Nacional Juvenil de Robótica, em São Paulo, com data a ser marcada. Contudo, todos os 47 grupos ganharão medalhas e prêmios pela participação, com o total de 165 alunos inscritos, de vários municípios do Amapá, além do Estado do Pará.


Segundo um dos coordenadores do treinamento, o professor de física Edvan Ribeiro, a aprendizagem da robótica incentiva não só os alunos, mas, também as escolas a abraçarem a ideia, como ferramenta pedagógica inovadora.


Além da oficina de robótica, o Caah/S promove cursos de matemática, dança, artes cênicas, produção textual, leitura, dentre outros, para alunos que possuem altas habilidades identificados pelo Núcleo de Educação Especial da Secretaria de Estado da Educação (Seed).


 

Com a promessa de muitas emoções e partidas eletrizantes, a Secretaria de Estado de Desporto e Lazer (Sedel), inicia, a partir desta terça-feira, 22, a fase final nas modalidades coletivas dos Jogos Escolares Amapaenses. A garotada de 15 a 17 anos que joga handebol, basquete, vôlei e futsal (masculino e feminino), entra em quadra disposta a ficar com a vaga nos Jogos Escolares da Juventude que ocorre, ainda neste ano, em Londrina-PR.


Após a fase classificatória, que ocorreu nos municípios, em cada modalidade, uma escola obteve a vaga para a final estadual. Cerca de 650 alunos das redes pública e privada de ensino estarão na disputa. Representantes de Ferreira Gomes, Oiapoque, Santana, Pedra Branca do Amapari, Serra do Navio, Vitória do Jari, Laranjal do Jari, Macapá e o Distrito de São Joaquim do Pacuí estão na capital para a fase decisiva.


"A expectativa é que tenhamos um excelente nível técnico, tendo em vista a etapa municipal onde tivemos jogos emocionantes. Acredito que a disputa vai ser acirrada, pois todos querem a classificação para os jogos escolares nacionais. Temos mais de 600 atletas participando dessa fase final", afirmou Cilene Coutinho, uma das coordenadoras dos Jogos Escolares Amapaenses.


As partidas de futsal irão ocorrer nos ginásios da Polícia Militar e do Trem Desportivo Clube.Os jogos de vôlei e de basquete serão no Ginásio Avertino Ramos. Nas modalidades individuais como judô, luta olímpica e xadrez, as finais já ocorreram. Segundo o secretário da Sedel, Edinoelson Trindade, para este ano, haverá uma atenção especial em relação ao índice técnico das equipes. A intenção é fazer bonito diante dos times de outros Estados.


"O Estado faz um investimento alto nos jogos escolares e temos conseguindo muitos resultados positivos. Agora, temos uma preocupação no que se refere ao índice técnico dos nosso times. A nossa intenção é fazer com que a nossa garotada dispute de igual para igual com os adversários. Somente assim, vamos conseguir, principalmente nas modalidades coletivas, resultados expressivos", disse.


Os Jogos Escolares da Juventude ocorrem no período de 12 a 21 de novembro.

Acontece no Monumento do Marco Zero do Equador e no Sebrae, no período de 22 a 25 de setembro, a III Feira de Ciências e Engenharia do Estado do Amapá (Feceap) 2015. O evento, que será casado com a programação do Equinócio de Primavera, tem o objetivo de promover o intercâmbio científico entre estudantes da rede de educação básica do Estado do Amapá, com alunos de outras regiões do país, e ainda estimular a construção de novos saberes, promovendo o desenvolvimento da capacidade criativa e investigativa na direção de soluções para o desenvolvimento sociocultural.


"Estamos valorizando um trabalho já existente dentro da Secretaria de Estado da Educação (Seed) com uma equipe de professores que tiveram a ideia da feira. O apoio para esse tipo de evento é importante, já que é um estímulo para estudantes que no futuro serão pesquisadores, professores, cientistas", enfatizou Robério Aleixo, secretário de Ciência e Tecnologia do Estado.


Outro diferencial, é que a feira fará parte da programação do Equinócio. "A ideia é juntar a feira com o evento do Equinócio, que além de ser um fenômeno natural é explicado pela ciência", anunciou o secretário.


O evento é promovido pelas secretarias de Estado da Educação (Seed), Ciência e Tecnologia (Setec) e Turismo (Setur), em parceria com o Serviço Brasileiro de apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), tendo como parceiros a Fundação de Amparo à Pesquisa do Amapá (Fapeap), Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Estado do Amapá (Iepa), Universidade Estadual do Amapá (Ueap), Universidade Federal do Amapá (Unifap); Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amapá (Ifap) e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).


A abertura do evento será nesta terça-feira, 22, às 18h, no auditório do Sebrae, em Macapá, onde será realizado o seminário "Ciência é Vida", com o grupo Ciência Show.




Premiação


Todos os participantes da FECEAP 2015 receberão certificado de participação. Receberão medalhas os três melhores projetos das categorias: Ciências Exatas e da Terra, Ciências da Saúde, Engenharias, Ciências Biológicas, Ciências Agrárias, Ciências Sociais Aplicadas e Ciências Humanas, dos segmentos: 1º ao 5º ano do ensino fundamental; 6º ao 9º ano do ensino fundamental; e ensino médio e/ou técnico.


Os melhores projetos de estudantes do 8º e 9º ano do ensino fundamental e do ensino médio e/ou técnico poderão receber credenciamento para participar de feiras de ciências nacionais e/ou internacionais como: Movimento Científico Norte e Nordeste (MOCINN) 2016, Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (FEBRACE) 2016, Mostra Brasileira de Ciência e Tecnologia (MOSTRATEC) 2016.


O foco principal da feira é resgatar a importância da ciência na vida das crianças e adolescentes. "Que ciência seja um dos focos principais no desenvolvimento econômico do Estado", afirmam os organizadores.

Encerra nesta sexta-feira, 18, o curso de formação destinado aos monitores da rede estadual e municipal de ensino vinculados a atividade Esporte na Escola/Atletismo e Múltiplas Vivências Esportivas do Programa Mais Educação, oferecido pelo governo federal. O curso durou dois dias e formou 87 monitores de unidades escolares públicas de Macapá para melhorar a qualidade do desenvolvimento das práticas esportivas dentro das escolas.


A capacitação é ofertada pelo Ministério dos Esportes e integra o Programa Mais Educação, representando a política de indução da Educação Integral do Ministério da Educação (MEC). As escolas que participam do programa têm a opção de selecionar atividades como atletismo, tênis de mesa, futebol, lutas e capoeiras.


De acordo com a secretária de Estado da Educação, Conceição Medeiros, "o esporte resguarda a juventude de drogas e qualquer espécie de degradação humana. Queremos ampliar o número de quadras poliesportivas nas escolas e fomentar ainda mais as múltiplas vivências esportivas de nossos alunos", destacou Medeiros.


O representante do Ministério dos Esportes, João Alberto de Lima, afirmou que o Programa Mais Educação chega como alternativa para que se tenha uma estrutura física e pedagógica vinculada a realidade dos alunos. Para ele, a escola precisa ter um diálogo permanente com a vida dos estudantes e dos professores.


"Precisamos aproveitar outros espaços como as praças, clubes, igrejas, espaços comunitários nas perspectivas educacionais. É importante repensar o esporte para além do espaço do ensino, para que ao terminar a fase escolar dos alunos, o esporte continue fazendo parte da sua vida" enfatizou.


 

As inscrições para a 2ª edição do Prêmio "Respostas para o Amanhã" encerram no domingo, 20, às 23h59 (horário de Brasília). O prêmio é destinado a professores e alunos do ensino médio da rede pública de todo país. Os interessados devem se inscrever unicamente pelo endereço eletrônico www.respostasparaoamanha.com.br.


A iniciativa busca fomentar o uso dos conhecimentos da área de Ciências da Natureza e Matemática em questões cotidianas, estimulando os jovens a pesquisarem e encontrarem soluções simples para melhorar a vida do lugar onde vivem.


Para a coordenadora do Ensino Básico e Profissional da Seed, Edilene Dias, o prémio valoriza a escola como espaço do conhecimento e divulga projetos desenvolvidos pelos estudantes mostrando a realidade da comunidade amapaense. "Estamos ajudando a organização na divulgação do material impresso do prêmio que nós recebemos, e ainda estimulando os nossos professores e alunos a participarem", afirmou a educadora.


Somente poderão se inscrever professores em pleno exercício de suas atividades no ensino médio de instituições públicas das redes municipais, estaduais e federal, que lecionem disciplinas relacionadas à área de Ciências da Natureza, Matemática e suas tecnologias tais como Biologia, Física, e Química, entre outras que integrem as referidas áreas.


A seleção regional dos projetos será a primeira etapa, quando serão escolhidos 20 projetos em âmbito nacional, indicados pelas Comissões Técnicas Regionais a partir dos critérios estabelecidos em regulamento.


No segundo momento acontece a produção de vídeos dos 20 projetos selecionados e a escolha dos cinco vencedores nacionais. Cada um dos 20 projetos selecionados, por meio dos professores responsáveis e seus alunos, deverá produzir um vídeo de até três minutos sobre o seu projeto.


A última seleção será a escolha dos cinco vídeos dos projetos vencedores nacionais, que serão postados no site para votação popular. O mais votado pelo público receberá o título de "Projeto Vencedor pelo Júri Popular". Dentre os cinco vencedores nacionais, será escolhido pela comissão julgadora aquele que será o Grande Vencedor Nacional, considerando, além de todos os critérios já avaliados, a originalidade, o caráter de inovação e a relevância frente ao contexto.


Os vencedores receberão prêmios como: notebooks, tabletes, câmeras fotográficas, troféus, medalhas e smartphones.

Representantes de vários órgãos reuniram-se nesta terça-feira, 15, no auditório do Comando da Polícia Militar para tratar da implantação e execução do projeto "Indígenas longe das drogas". O plano tem por objetivo sensibilizar sobre os males do uso de drogas lícitas e ilícitas dentro das aldeias e preparar o público alvo para prevenir a propagação do consumo e plantio de drogas.


O projeto terá início em outubro de 2015 e se estende até maio 2017, quando será feita a avaliação e o planejamento. Serão contempladas 55 escolas indígenas no Amapá. As primeiras a receberem a formação serão as aldeias-polos, seguidas das demais para a ação de multiplicadores, totalizando 7.000 indígenas beneficiados com projeto e mais de 300 professores índios e não índios envolvidos.


De acordo com a diretora de Ação Social da Polícia Militar, coronel Palmira Bittencourt, haverá uma força-tarefa para realizar um levantamento de números e constatações de casos para dar suporte à execução do projeto.


"Já fazemos o trabalho de prevenção nas escolas do Estado do Amapá e agora pretendemos ampliar a ação. Esta já é a quarta reunião e cada vez mais temos o apoio de outras instituições. O projeto tem planejamento para atingir cada faixa etária e assim chegar verdadeiramente na mobilização e sensibilização do tema", destacou.


A secretária de Estado da Educação, Conceição Medeiros, reiterou que é importante a formação dos professores e pedagogos para, posteriormente, realizar o trabalho de multiplicadores, bem como inserir a temática dentro das diretrizes curriculares das escolas.


O trabalho será desenvolvido através do Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd) da PM com a coordenação da Fundação Nacional do Índio (Funai), em parceria com as secretarias de Estado da Educação (Seed) e Extraordinária dos Povos Indígenas, Instituto Shelter, Exército Brasileiro, Universidade Federal do Amapá (Unifap), entre outros


 


 


 


 

A organização dos prêmios "Professores do Brasil" e "Gestão Escolar" anunciou nesta segunda-feira, 14, que as inscrições para os concursos foram prorrogadas até o dia 28 de setembro para todas as categorias. A medida irá oportunizar a participação de professores e diretores que não conseguiram se inscrever ou completar os formulários de participação até a data inicialmente estabelecida.



Os prêmios são para as categorias creche; pré-escola; alfabetização; ensino fundamental - anos iniciais; e ensino fundamental - anos finais e ensino médio.


Prêmio Professores do Brasil
Ao fazer a inscrição online, o professor produzirá um relato de experiência, evidenciando sua qualidade e resultados obtidos. Ao escrever sobre uma experiência vivida na sala de aula, o participante desenvolve um exercício de reflexão sobre a própria prática, promovendo o aprimoramento dos processos de ensino e aprendizagem.



Podem participar, enviando um relato do trabalho desenvolvido com uma turma de alunos, professores de escolas públicas da educação básica. Serão premiados cinco professores em cada uma das seis categorias, totalizando 30 experiências selecionadas, cada uma com o prêmio de R$ 7 mil.



Diretores - Prêmio Gestão Escolar
Também fazendo sua inscrição online o diretor tem acesso a um instrumento de autoavaliação dos processos de gestão e a um roteiro de um plano de ação, a ser construído com a comunidade escolar.



Podem participar escolas do ensino regular da educação básica, das redes públicas estaduais, distrital e municipais, representadas pelo diretor, que realizem o processo de autoavaliação.
Para as escolas "Destaque Local" e "Destaque Estadual" são concedidos certificados pelo site. As cinco escolas finalistas e a vencedora recebem o diploma de "Destaque Regional" e a "Referência Brasil" respectivamente.



É concedida também premiação em dinheiro, de forma não cumulativa: R$ 6 mil para escolas indicadas como "Destaque Estadual/Distrital"; R$ 10 mil para escolas selecionadas como "Destaque Regional"; e R$ 30 mil para escola classificada como "Referência Brasil". O diretor das escolas "Referência Brasil" receberá R$ 6 mil.



Mais informações sobre o regulamento e a premiação podem ser obtidas no site:www.educadoresdobrasil.org.br.

Duas centrais de ar e um projetor multimídia foram retirados da Escola Estadual Tiradentes e devolvidos ao fornecedor nesta segunda-feira,14, encerrando uma dívida herdada pela atual gestão. O material foi adquirido no ano de 2014, por meio do Programa Ensino Médio Inovador, porém, em razão de dívidas trabalhistas da gestão do ex-governador Camilo Capiberibe, o recurso foi bloqueado pelo Ministério do Trabalho para o ressarcimento dos ex-funcionários do Caixa Escolar, impossibilitando o pagamento do material.



Segundo o diretor da unidade escolar, Aroldo Vieira da Silva, a dívida foi negociada e parcelada em quatro vezes totalizando o valor de R$ 19.710,13, mas como o recurso permaneceu bloqueado, não foi possível manter o acordo. Com a devolução dos bens, feita por meio de acordo extrajudicial, a dívida foi encerrada, solucionando o problema e evitando futuros bloqueios de contas.



Para que os alunos não fossem prejudicados com a devolução do material, a direção da escola fez o remanejamento da central de ar da sala dos professores, que foi substituída por um ar condicionado. "Como a sala dos professores é um ambiente menor colocamos uma ar condicionado e retiramos a central de ar para colocarmos na sala de aula, para que os alunos continuassem com o conforto", disse o diretor.



Dívidas herdadas


 
Os Caixas Escolares começaram a ter problemas com a Justiça desde o fim de 2011. Entretanto, em 2014 o bloqueio judicial foi massificado em razão de ações trabalhistas de prestadores de serviço, contratados pela Unidade Descentralizada de Execução da Educação (UDE), que deixou de pagar FGTS, INSS e até mesmo salários, por vários meses a esses prestadores de serviço.


Somente em 2014 deixaram de ser pagos merendeiras, serventes, vigilantes, transportadores escolares e fornecedores. Esses débitos, herdados pela atual gestão, somam o montante de R$ 350 milhões – onde também estão incluídos os gastos com manutenção das unidades escolares.


A secretária de Estado da Educação, Conceição Medeiros, afirma que a dívida mais grave foi das merendeiras e serventes - trabalhadores da UDE. Sem juros e correção monetária, esse débito, que compreende o INSS, Receita Federal e atraso de pagamento de agosto a novembro, totaliza R$ 117 milhões.


Com a vigilância, serviço terceirizado, o déficit de outubro a dezembro ultrapassou os R$ 14 milhões. Para a manutenção das escolas, de junho a novembro de 2014, não foram repassados a quantia de R$ 4,7 milhões.


No setor de transporte escolar, serviço que é pago através do Caixa Escolar, a dívida de setembro a dezembro do ano passado somou R$ 11,7 milhões. Já em relação ao débito com fornecedores de alimentos para a merenda escolar e manutenção, sem a totalidade da zona rural, o valor já ultrapassa os R$ 11 milhões.